Tecnologia e Criança

Blog sobre novas tecnologias e o seu impacto ao lidarmos com nossas crianças, tanto como pais quanto como professores.

Tuesday, July 18, 2006

Eu sempre gosto de explorar tecnologias simples, de preferência gratuitas, e poderosas. O que eu considero poderoso? Tecnologias que permitem que a criança trabalhe o seu raciocínio, que ative o cérebro, que a faça aprender a se organizar, e outras habilidades que a ajudarão a sobreviver nesta era da informação.

Ferramentas de autoria são boas para isso. Eu chamo de ferramentas de autoria softwares que estão livres de conteúdo. Ou seja, são neutros e podem ser aplicados para qualquer conteúdo. Oferecem ferramentas onde a criança pode criar as suas próprias coisas.

Alguns exemplos desse tipo de ferramenta são o JClic (http://clic.xtec.cat/es/jclic/index.htm), os brinquedos muito legais do Google (Google Earth, Google 3D Sketchup que está sendo lançado agora, entre outras) e uma tão batida que já está ficando desprezada: o PowerPoint da Microsoft.

Eu sei, tem gente que já rolou os olhos para cima quando o PowerPoint é mencionado! Mas esta ferramenta tende a ser mal compreendida e mal utilizada. Por ter sido exageradamente adotada, e muitas vezes de forma errônea, tendemos a deixá-la para trás e procurar coisas melhores, menos estereotipadas quem sabe. Quem que aguenta ficar vendo aqueles mesmos templates de slides?

Mas não vamos desprezar o PowerPoint. Ele tem muito a oferecer, inclusive em termos de criatividade! Primeiro, você pode usar o slide mestre para fazer seu próprio template. Você pode ensinar as crianças a elaborarem um slide que reflita mais o estilo delas. Muda-se a cor de fundo (ou até coloca uma foto pessoal), customiza-se os tipos de letras, seu tamanho, cor... Depois que ela criou seu próprio estilo, pode-se incentivar que ela use o PowerPoint para aprender a resumir idéias, organizar pensamentos, buscar palavras-chave. Se orientar a criança a fazer um PowerPoint bem feito, a ferramenta e suas limitações podem justamente ajudá-lo a ter que saber analisar e sintetizar informações. Se a criança tentar colocar muito texto no slide, ele passa a ser ilegível. E se colocar só texto, sem figura, passa a entediar seus colegas durante a apresentação. A criança vai ter que aprender a equilibrar o material da tela para fazer uma apresentação lógica, interessante, relevante e com conteúdo correto.

Se quiser ir mais adiante, ensina a criança a fazer animações, usar imagens, vídeos, sons e até a própria narração, com tempo cronometrado. Ela pode fazer um filminho.

Uma vez eu fiquei muito impressionada quando estava visitando uma sala de aula de 4.a série em uma escola em Nova York. Era uma escola 100% laptop, e a professora estava ensinando sobre o ciclo da água. Os alunos foram divididos em grupo e cada grupo tinha que explicar um pouco sobre a água. Um dos grupos tinha que explicar como a água chegava até a torneira de sua casa. Os alunos fizeram uma animação, tudo no mesmo slide. Quando tocava a animação, aparecia a represa e a casa deles. À medida que ia passando o tempo, iam aparecendo canos saindo da represa até chegarem na casa. A animação dava a entender como esses tubos tiveram que ser construídos. Depois de completada a ligação dos tubos, a água "escorria" da represa até a casa, a torneira abria, e a água fluia para dentro da pia.

A professora me falou que eles bolaram isso sozinhos. Eles tinham isso contado na forma de texto no livro deles, e eles "traduziram" o texto neste pequeno filminho, todo feito em PPT. Eles mesmos desenharam os objetos (haviam mais de 100 objetos no mesmo slide) e tiveram a paciência de animá-los um a um para dar o efeito desejado.

Eu achei que eles aprenderam muito com essa atividade. Tiveram que primeiro compreender bem o texto, planejar a estratégia de como iriam apresentar, elaborar os desenhos e depois animar e testar cada um até chegar ao efeito desejado. Essas crianças tinham apenas 9 anos de idade! E adoraram fazer. Garanto que nunca vão esquecer como a água chega à torneira.

Você pode pensar: tem ferramenta melhor do que o PPT para isso! E tem mesmo, mas era o que a professora tinha disponível para ela. E é o que muitos irão ter a disposição. Não preciso deixar de fazer um projeto assim tão interessante só por que não tenho a melhor ferramenta para aquilo.

Outra professora que conheço faz os alunos dela fazerem mapas conceituais aproveitando as formas disponiveis no PPT. Ao preparar os mapas deles no PPT, já ficam prontos para apresentar suas idéias. E podem animar seus mapas para as idéias aparecerem só na hora que desejarem durante a apresentação.

Tem tanta coisa legal e nova saindo e sendo criada, e nem começamos a explorar bem o que já temos. Às vezes ficamos perdidos tentando englobar tudo que está por aí, mas é importante para nós educadores (pais, professores, qualquer um que entre em contato com crianças) pararmos de vez em quando e tentarmos usar melhor o que parece hoje banalizado. Nem começamos a explorar todo o potencial das ferramentas do nosso dia a dia.

Às vezes eu me sinto nessa área de tecnologia educacional como se estivesse em uma churrascaria. Não pára de vir carne. Nem dá tempo de terminar de cortar a primeira carne, já tem mais 3 sendo servidas. O que eu aprendi a fazer foi pegar uma carne, virar a madeirinha para o lado vermelho, aproveitar aquele pedaço ao máximo, e depois virar de novo para o verde para ir saboreando cada coisa com calma e aproveitando ao máximo. Temos que fazer o mesmo com essa enxurrada de informação e tecnologia. Temos que perder a afobação de sempre usar o novo, e aprender a aproveitar bem cada uma, nem que seja menos por vez.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home